Sempre Comigo
Anna Paes
 
A brisa fria da madrugada
arrepia meu corpo abandonado
O sol na carruagem da aurora
clareia meu quarto solitário
Desperto com a sensação
que tu, meu amado,
saistes de mim, com um sopro.
Feito Eros que deixava psique
ao amanhecer.
Tu me deixavas,
 aos primeiros raios solares.
Foi um sonho bom,
Uma ilusão fugaz
À luz neon
de minha imaginação
sentir nossos corpos entrelaçados,
um abraço que nos tornava um.
Bater unissono do coração
tu dentro de mim, eu dentro de ti
Numa dança incomum,
da vida, a celebraçao.
O suor dos nossos corpos
salgando nossos lábios
A vida explodindo em sons
e em pétalas de rosas.
Tu és minha inspiração
Por existires não sinto solidão,
nem frio,
aquecida que estou pelo calor
das labaredas desta paixão.
Espera-me
que vou ao teu encontro
Deusa-musa-mulher
ardente e pronta
para uma entrega absoluta,
para preencher todos os vazios,
para alimentar o teu cio
para compensar a tua luta.
Espera, amor, aquela
que sempre foi tua
que chegarei no raio de lua
entrarei pela tua janela
pondo um fim nesta espera.
Anna Paes
 
|Livro de Visitas|
 

|AnnaPaes|

Home|Indice|E-books|Convidados|

Para enviar esta página, copie o link ou clique no

envelopinho na barra de navegação do seu IE

 

http://www.anna.paes.nom.br
http://poesiaeart.sites.uol.com.br
http://diariogeral.zip.net
©AnnaPaes®