CANTAR O AMOR
Armand Duval
 
Enferrugem-se no cais
os navios bélicos.
Tremulem as velas das embarcações,
Com o impulso de meus ais
Soltem-se as ancoras dos corações.
Hoje quero cantar o amor.
Quero cantar o amor que pacifica,
que harmoniza, que unifica.
Que (Uni ) Fica.
Quero cantar o amor
que derruba muros,
que desconhece obstáculos,
Supera a dor,
Não espera pelo futuro,
Vive o presente e do presente.
Não crê em oráculos
Acredita no que sente.
Quero cantar o amor universal
Hoje estou sentimental,
Sentimental eu sou
Quero cantar o amor
de um homem por uma mulher
Quero cantar a mulher,
Não uma qualquer,
Quero cantar aquela que é
Minha profissão de fé.
Quero cantar a mulher
Que eu amo e não me quer.
 
Armand Duval
 
Junho
Brasília-DF
 
   MEDO
Anna Paes
 
Quem é esta mulher
que foge de quem a ama?
Quem sabe se ela
tem medo de se apaixonar?
E se a outra diz:
"vou voltar,
dispensa esta ordinária,
vem comigo ser feliz?"
Que sofrimento extraordinário
Esta mulher passará
Se a outra arrependida
cismar de voltar,
te reconquistar com um sorriso,
 um olhar bandido
um jeito  sensual,
Com o ar de tua dona
Deitar na tua cama
e ficar?
Vem cá,
me diz
Vais deixar de ser feliz?
Anna Paes
 
Junho
Brasilia - DF
 
Direitos Reservados aos autores
 
http://www.anna.paes.nom.br
http://poesiaeart.sites.uol.com.br
http://diariogeral.zip.net
Luis Miguel -Toda Una Vida
Art APaes
©AnnaPaes®
 
 
...............................................
 
 

Copyright © 2006 Poesia & Art - Todos direitos reservados | Web Designer Paola Caumo
 


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
.